‘Causos’ Devia 1 milhão, deu imóvel de 4, recebeu mais 1. “Pode isso Arnaldo?” ‘Causos’ Devia 1 milhão, deu imóvel de 4, recebeu mais 1. “Pode isso Arnaldo?”
Word 2016, Excel 2016, PowerPoint 2016, OneNote 2016, Outlook 2016, Publisher 2016, and Access 2016. http://www.cdkeypascher.com http://www.cdkeypascher.com/office-2016-3-product-key/ cheap windows 10 key http://www.productkeysale.com http://www.mmkey.net cheap windows 10 key

Clipping

  • ‘Causos’ Devia 1 milhão, deu imóvel de 4, recebeu mais 1. “Pode isso Arnaldo?”

    Um faturizada devia 1 milhão para uma empresa de factoring. Para saldar a dívida, deu sua sede por R$ 2 milhões para o sócio da credora (factoring) e recebeu mais um 1 milhão. A faturizada pegou aquele um milhão e foi procurar e contratou  –  por um milésimo do que tinha no bolso, é claro –, um advogado e este entrou com a ação de anulação de venda e compra. “Traidor!” esbravejou o dono da factoring. “Pode isso Arnaldo?” Pode, o empresário de factoring deveria pedir para um advogado acompanhar o acordo, mas não fez, recebeu a sede da empresa que no mercado valia 4 milhões, por 2 milhões. Pior, figurou como comprador o sócio da factoring, não a empresa de factoring que era a credora. Pior ainda, foi lavrada escritura pública de venda e compra, quando na verdade deveria ser de dação em pagamento, enfim, negócio simulado, sem falar ainda que o imóvel continuou com a faturizada, com direito de recompra por 4 anos. Deveria ser feita uma dação em pagamento e se o faturizado continuasse no imóvel, deveria ser feito um contrato de locação ou comodato. E, ainda, a escritura/negócio deveria ser feito pelo valor de mercado. Do jeito que foi deu munição para a faturizada anular o negócio e embolsar 2 milhões. “A regra é clara”.


  • Jurisprudências

    Direito de regresso no caso de insolvência

    Agravo de instrumento n. 2004.033451-8, de Blumenau. Relator: Des. Sérgio Roberto Baasch Luz. AGRAVO DE INSTRUMENTO ¿ AÇÃO DECLARATÓRIA DE INEXISTÊNCIA DE ...

    Leia Artigo Completo